26 abril 2011

Dores.

São dores de vários tipos. De várias formas. De várias cores. Atacam um pedacinho de tudo. E podem ser tratadas de todas as maneiras possíveis.

Mas nem todas se tratam. Nem todas passam. Algumas ficam em mim. Porque há dores que ultrapassam o corpo. Ultrapassam o comprimido, a substância, o descanso. Seguem enquanto estou de olhos fechados e assaltam-me o pouco sono que durmo. Estão longe de ser palpáveis.

A alma dói mais. Seja pelas dores físicas que chegam à alma, seja pelas dores que são só de alma e nem tocam no corpo.

A alma dói sempre mais.

2 comentários:

  1. ainda que doa.. a tua alma é sempre mais bonita*

    ResponderEliminar
  2. Obrigada... Sabes porquê! *** :)

    ResponderEliminar